Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

17 de jan de 2011

Obra sobre Emanoel Araújo

Sinopse: "Emanoel Araújo é um dos raros indivíduos negros a transitar pelos espaços de prestígio e poder na nossa sociedade. Sua trajetória como artista plástico, editor, designer, criador de museus, curador e gestor público sempre teve como meta prioritária a produção de conhecimento acerca do legado africano no Brasil. Ao seu modo, Araújo vem realizando uma poderosa ação valorizativa da população negra ao mostrar com imagens que o racismo é, sobretudo, fruto da ignorância acerca do outro. Em tempos de discussões acirradas, e nem sempre produtivas, sobre o papel das ações afirmativas e a questão do mérito, vale a pena conhecer um personagem com esse perfil e essa estatura. Oriundo do interior da Bahia, ainda jovem Emanoel Araújo veio a adquirir consciência política em Salvador, nas atividades do Centro de Cultura Popular da UNE. Com o passar do tempo, assumiu uma dupla indignação: primeiro, com a situação do país ante a ordem autoritária estabelecida com o golpe de 1964; depois, com o esquecimento de seu povo, mulheres e homens negros historicamentepreteridos, aquela gente que no dizer de Frantz Fanon seriam os condenados da terra. Ao final de quatro décadas de trabalho, após dirigir a Pinacoteca do Estado de São Paulo e o Museu de Arte da Bahia, Araújo realiza o seu projeto mais ambicioso: a criação do Museu Afro-Brasil, em São Paulo, cujo acervo nos permite sérias reflexões sobre a construção da cidadania do povo negro. Acompanhar a trajetória, a obra e o pensamento de Emanoel Araújo é também a forma de reeducar os nossos olhos e as nossas mentes".
Postar um comentário