Escrever é preciso!

Entrego o livro autografado à diretora. Ela lê e me abraça. Pergunta como adivinhei? Sim, a leitura do Pentes dialogará com as histórias afrodescendentes do país dela, pois está preparando um espetáculo baseado nas lendas que sua babá negra lhe contava na infância. Eu recolho meu sorriso, empunho a caneta e continuo a escrever minhas próprias histórias. (Imagem do cenário da peça "Os nove pentes d'África", de Iléa Ferraz)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas