Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

29 de set de 2010

Camarões faz história no Mundial de Vôlei

(Deu no UOL, por Luigi Vasini). "Ao marcar seu 26º ponto contra a Austrália, os camaroneses dançaram animadamente para celebrar a primeira vitória do país na história do Mundial --sem contar o torneio de consolação. A virada sobre os australianos na última rodada da primeira fase também significou a sobrevida na Itália. "Você não pode imaginar o que esta vitória significa para o povo da África", afirmou o técnico de Camarões, o alemão Peter Nonnenbraich, que chorou durante a entrevista após a partida. Aos 31 anos e com 65 pontos em três jogos no Mundial, Ndaki Mboulet não é conhecido, pelo menos não com esse nome. Com 2,01 m, ele veste a camisa 7 do país da África equatorial com a alcunha J.P. San (Senhor JP). "Desde que me mudei para o Japão, meus fundamentos melhoraram", afirmou o camaronês, justificando a utilização de seu apelido no time do Sakai Blazers, de Osaka, vice-campeão nas duas últimas edições da Copa do Imperador. JP San classificou o triunfo sobre a Austrália "como um momento inesquecível". "É a primeira vez que avançamos à segunda rodada", disse ele. "Foi histórico, uma recompensa por muitos anos de trabalho duro." Agora no Grupo L, Camarões enfrenta EUA e República Tcheca, em Ancona. A equipe joga apenas na sexta, contra os americanos. Novo avanço no Mundial parece pouco provável, mas o camaronês adota um discurso otimista com o resultado já conquistado na Itália. "Não tenho dúvidas de que a vitória vai servir para catapultar o vôlei em Camarões e em toda a África", disse JP San. "Estou orgulhoso de fazer parte desta história." A força africana no Mundial ganhou mais força com a classificação à segunda fase também do Egito, principal força do continente no vôlei. "Foi uma classificação história para nós", afirmou o treinador do Egito, Antonio Giacobbe, que comandou a Tunísia rumo à segunda rodada no Mundial de 2006. Os egípcios estão no Grupo I e enfrentam a Rússia, amanhã, e a Espanha, no sábado".
Postar um comentário