Bate-papo na Biblioteca Alceu Amoroso Lima, dia 14 de maio de 2017

Bate-papo na Biblioteca Alceu Amoroso Lima, dia 14 de maio de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

21 de mar de 2015

Curso ministrado por Cidinha da Silva no SESC-SP (Centro de Pesquisa e Formação)



Atividades

A escritora Cidinha da Silva aborda aspectos da literatura negra a partir de contextos socioculturais e históricos do Brasil contemporâneo.

Contextos
Literatura negra contemporânea no Brasil: uma mirada

 VOLTAR PARA O INÍCIOLiteratura negra contemporânea no Brasil: uma mirada

Palestrantes

Cidinha da Silva

Cidinha da Silva

Coordenadora do curso. Prosadora, ensaísta e dramaturga. Tem oito livros de literatura publicados, sendo os mais recentes, Racismo no Brasil e afetos correlatos (Conversê, 2013) e Baú de miudezas, sol e chuva (Mazza Edições, 2014). É doutoranda no Programa Multi-Institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento da UFBa. (Foto: Elaine Campos)
Mariana Santos Assis

Mariana Santos Assis

Mestre em Linguística aplicada pela Unicamp. Pesquisa relações étnico-raciais e de gênero, políticas públicas de inclusão racial, arte e cultura negra, marginal e periférica. (Foto: Acervo pessoal)

Programa

O curso abordará, brevemente, aspectos que caracterizam a discussão do conceito em construção de “literatura negra”, pela mirada crítica e afrocentrada de uma escritora, Cidinha da Silva, considerando:

 

a) O surgimento da literatura negra contemporânea no Brasil no contexto de lutas de libertação nacional (África de expressão portuguesa), antirracista (EUA) e de distensão da ditadura civil-militar e rearticulação do Movimento Negro no país;
b) Características e contradições de textos literários orientados pela militância política de combate ao racismo;
c) Aportes de escritoras e escritores negros à construção do conceito – outras vozes além daquelas dos teóricos de literatura;
d) Intersecções e fraturas entre literatura negra e literatura periférica – uma dimensão fundamental da contemporaneidade.

 

Objetivos:

 

a) Oferecer ao (à) cursista um panorama das questões políticas e estéticas envolvidas na construção do conceito de literatura negra, sem a intenção de esgotar o tema;

b) Acrescentar novos olhares de escritoras e escritores negros ao cenário, haja vista que a discussão tem se atido à visão pouco dissonante de um conjunto de escritores/as, teóricos da literatura e militantes do antirracismo; 

c) Acessar diferentes respostas e propostas estéticas da literatura negra por meio do texto literário.

 

Metodologia:

 

Aulas expositivas dialogadas / leitura individual e coletiva de excertos literários / debate / construção de consensos e dissensos bem fundamentados

 

Estrutura do curso / conteúdos orientadores:


24/04 (sexta-feira)

 

10h às 11h - Apresentação das pessoas e do curso, do marco teórico e temporal, discussão de expectativas.

 

11h às 13h - Os precursores da literatura negra no Brasil: mirada sobre os volumes “Precursores” e “Consolidação” da Antologia Literatura e Afrodescendência (UFMG, 2010, Org. Eduardo Assis Duarte)

 

14h30 às 16h - O nascimento do Quilombhoje em finais dos anos 1970, no contexto das lutas de libertação dos países africanos de expressão portuguesa; do movimento Black Power (EUA); da distensão da ditadura civil-militar e rearticulação do Movimento Negro contemporâneo no Brasil;

A proposta político-estética dos Cadernos Negros.

 

16h30 às 18h - Características e contradições dos textos literários orientados pela militância política antirracista.

 

25/04 (sábado) 

 

10h às 13h - Uma mirada sobre um conceito em construção: literatura negra ou afro-brasileira por meio das contribuições de Florentina Souza, Zilá Birnd, Eduardo Assis Duarte e Cuti.

 

14h30 às 16h - Aportes do olhar de escritoras e escritores negros sobre o conceito de literatura negra: Ronald Augusto, Edimilson de Almeida Pereira, Lívia Natália e Cidinha da Silva.

 

16h30 às 18h - Interseções e fraturas entre literatura negra e literatura periférica – dimensão fundamental da contemporaneidade. 

Avaliação e encerramento

(Foto: Divulgação)
Postar um comentário