Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

8 de nov de 2010

Sobre racismo no twitter

(Fernando Gallo da Folha OnLine). "Polícia de SP abre inquérito para investigar suposto crime de racismo no Twitter. Um inquérito foi instaurado hoje pela delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância. A Delegada pede que se denuncie todo caso de intolerância, racismo e preconceito, enviando fotos e nomes de perfis da rede social. A Polícia Civil de São Paulo vai investigar a estudante Mayara Petruso e outras 1.500 pessoas suspeitas de praticar racismo contra nordestinos no Twitter. Um inquérito foi instaurado hoje pela delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância para apurar o suposto crime cometido pela garota e a responsabilidade por um manifesto virtual intitulado “São Paulo para os paulistas”, que, dentre outras coisas, diz reivindicar “o fim da repressão ao paulista sobre o tema da migração em sua própria terra”. O manifesto já foi assinado por quase 1.500 pessoas, que também podem vir a responder, como a estudante de direito, pelo crime de incitação ao racismo. A garota poderá ser indiciada também por incitação ao crime por ter pedido no Twitter que seus seguidores “matassem um nordestino afogado”. Se condenada por incitação ao racismo, poderia pegar de dois a cinco anos de prisão. No caso da incitação ao crime, a pena é de três a seis meses de prisão ou multa. É a primeira vez que a delegacia de crimes raciais de São Paulo vai investigar um caso de preconceito no Twitter. Segundo a delegada Margarette Barreto, a apuração de autoria de crimes é mais difícil no mundo virtual porque os usuários costumam apagar seus perfis nas redes sociais quando casos polêmicos ganham notoriedade. “Vamos fazer um trabalho sério dentro das possibilidades de prova”, diz. A delegada espera concluir a investigação em até três meses e afirma que os usuários das redes sociais podem contribuir com a polícia imprimindo imagens de frases de outros usuários que incitem o preconceito ou o crime e encaminhando-as à polícia. Telefones: Estado de São Paulo 0800-15-63-15 São Paulo e região metropolitana: 181 Pela Internet: http://www.ssp.sp.gov.br/servicos/denuncias/denuncias_outras.aspx Denuncie por este link Este serviço centralizado permite que qualquer pessoa forneça à polícia informações sobre delitos e formas de violência, com absoluta garantia de anonimato".
Postar um comentário