Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

6 de out de 2008

Ainda insistem, mas preconceito não é sinônimo de racismo

Sobre as lições do racismo: 1 - O "preconceito" (racial) teria confundido uma sambista com uma cientista e, por isso (esperadamente), ela teria sido barrada ao entrar em estabelecimento público. Naturaliza-se a suposta superioridade da cientista em relação à sambista e seria então um ultrage que aquela fosse confundida com esta; 2 - Para a cientista cabe o genérico enaltecedor do título, "mulher brasileira". Assim, um receptor desatento esquece que ambas, a suposta "mulata de escola de samba" e a outra, a cientista reconhecida, são uma só, uma mulher negra; 3 - Os títulos acadêmicos e o prêmio redimiriam a cientista da humilhação racial e ela se tornaria digna de ser entronizada naquele espaço público; 4 - Mantem-se intacto e reificado o estereótico das sambistas como lascivas e provedoras de sexo farto e fácil. 5 - O racismo, sistema ideológico que hierarquiza racialmente os seres humanos e produz mecanismos (preconceitos, estereótipos, desigualdades)para que os considerados superiores mantenham suas posições de poder,ao mesmo tempo em que ratificam a subalternização de outros, permanece firme, forte, vivo e voraz. E dissimulado!
Postar um comentário