Das coisas trazidas pela primavera - III

(Poeminha 4). Soubesse que querias tão pouco/ Teria aberto apenas as portas do corpo/ De pronto te daria um poema/ E te pouparia do meu frêmito poético de existir/ A sete chaves guardaria o coração/ A catorze, trancaria a alma/ Protegeria do teu sol/Com vinte e uma copas de copaíba/ Meu infinito
1 comentário

Postagens mais visitadas