Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

7 de jul de 2009

Personagens negras nos quadrinhos de Maurício de Sousa

Saiu a aguardada revistinha da Tina, personagem do Maurício de Sousa, bem interessante, gostei. Existem dois figurantes negros entre os 34 personagens secundários ou de figuração, meio por cento. Será alguma fumaça de mudança? Não riam, o comum é não aparecer qualquer figurante negro e já são dois... será? Outro sinal, aparentemente positivo, é que, dentre os 11 personagens principais, como esperado, não há um só negro, mas a morte é azul, tem olhos amarelos e veste-se de marrom, uma indumentária similar àquela usada pelos franciscanos. Na edição número 11 da Turma da Mônica Jovem, o Jeremias finalmente deu o ar da graça, ou permitiram que ele aparecesse com fala, ainda que mínima. Para quem não acompanha a Turma, trata-se de um personagem negro. Na mesma história apareceu a Cascuda, uma gatinha negra, namorada do Cascão, e o próprio. Como sabido, um "mestiço" (Cascão), quando posto lado-a-lado com outros negros, o Jeremias e a Cascuda, no caso em tela, evidencia sua negritude,até para quem não quer ver. Então fiquei feliz da vida com três peronagens negros, protagonistas, numa única historinha do Maurício de Sousa. Será que nossas reclamações e sugestões estão sendo ouvidas? A história ficou tão simpática, tão brasileira, como gostam de dizer por aí, aqueles que enaltecem a presença do negro nas ruas e cenários comuns e empobrecidos do país. E na revista do Ronaldinho Gaúcho número 30, pasmem, na história-título - "O craque borralheiro" - Diego, o amigo inseparável do Ronaldinho (um garotinho negro, a título de informação) é o príncipe. Acrescente-se a isso os dreads irados do Ronaldinho, no papel de Gato Borralheiro. Sinal dos tempos nos quadrinhos do Maurício? Tomara!
Postar um comentário