Amarelo de sábado

(por Maria Tereza - www.poetasnauticos.space.live.com) "hoje lembrando que é sábado acordei muito além da hora/ pulei a parte de exercícios obrigatórios pra continuar de pé/ comi banana, mixirica, bolo e bebi café com uma força pedindo passagem em meu ser saudei mamãe Oxum pedi muita, mas muita doçura , que às vezes me engasgo contando amarguras cantei,/ cantei várias vezes uma música nova pra ela/ guardei as lágrimas quase doendo e fui me lavar/ cantei mais, agradeci por tudo o que acontecera até aqui/ antes de melancolicas, sorri e pedi/ um amor novo pra me agradar, preu me enroscar, pra tocar esse barco que de repente/ vira uma viola sem corda.../ pra brincar de andar de dois que nem criança quando dá a mão e olha pra frente/ naturalmente/ já agradeci pedindo, lembrando que o dia agora tá no fim/ e tanto fiz e lembro da força que me fez açao afrorústica brasileira". (ilustração: Iléa Ferraz - Dança com sol II)
Postar um comentário

Postagens mais visitadas