Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

9 de ago de 2007

Boas vindas ao novo livro do Edimilson - "Malungos na escola: questões sobre culturas afrodescendentes e educação"

( texto de divulgação da editora) "Malungos na escola - questões sobre culturas afrodescendentes e educação tem como principal objetivo oferecer subsídios aos educadores na implementação da Lei nº. 10.639, que torna obrigatório o ensino sobre História e Cultura Afro-brasileira, nos estabelecimentos de ensino fundamental e médio. Estudioso e pesquisador da cultura popular afro-brasileira, o professor Edimilson de Almeida Pereira projeta a importância da inclusão do tema nos currículos para além das "políticas afirmativas que permitem à sociedade brasileira reconhecer sua dívida para com os africanos e seus descendentes". O livro está dividido em três partes. Na primeira, é feito um inventário das heranças africanas que influenciaram e influenciam a sociedade brasileira: alimentação, danças, vestuário, festas, religião, habitação e língua. Segundo o autor, uma compreensão maior das influências africanas na cultura permite que se entenda, também, os modos de funcionamento da sociedade brasileira. Na segunda parte do livro, é feito um estudo de elementos banto-católicos no sistema de valores do Congado, de Minas Gerais (uma das mais importantes manifestações da cultura afro-brasileira). A partir da análise dos cantos, o autor identifica a "relação que os devotos estabelecem entre os temas sagrados e os temas sociais"; relação que confere à festa o caráter político e pedagógico, permitindo que a comunidade envolvida discuta suas experiências de socialização. Ao tomar o Congado como referência, é possível estabelecer o parâmetro das diferenças que transitam nas escolas brasileiras, para encaminhar propostas de "práticas educacionais voltadas para a promoção do diálogo". Na terceira parte, são levantadas questões sobre a existência de corpus literário que "se insinua" como Literatura Negra ou Afro-brasileira. Nesse sentido, são apresentados alguns autores, além da análise de fragmentos de suas obras. E, finalmente, cinco autores afro-brasileiros contemporâneos são entrevistados pelo autor e fazem uma reflexão sobre literatura, educação e formação de identidades". Malungo (do banto = companheiro) era o termo usado pelos cativos para identificar àqueles que tinham viajado no mesmo navio, quando foram trazidos da África.
Postar um comentário