Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

13 de mar de 2014

Coletânea Ogum’s Toques Negros será lançada em 21 de março em Salvador



Dadá Jaques/Editora Barabô
A coleção literária é composta por textos de escritores negros e negras brasileiros sobre o universo das tradições de matriz africana
Será lançado no próximo 21 de março, pela Editora Ogum’s Toques Negros com o apoio da Fundação Cultural Palmares – MinC, a coletânea poética Ogum’s Toques Negros. A publicação é resultado de um projeto homônimo, voltado à valorização de escritores e escritoras negras brasileiras. O lançamento acontecerá a partir das 18h30 no Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO) da Universidade Federal da Bahia em Salvador.
Com obras de 19 autores a coletânea remete a ancestralidade a partir do ponto de vista religioso e/ou político. De acordo com o organizador da obra, Alex Ratts, uma grande parte dos poemas consiste numa escrita de si, mas não necessariamente autobiográfica. “Trata-se de um eu que foi considerado o outro, o invisível”, diz, esclarecendo que é um modo de apresentar o que está à margem. “Uma linha tênue entre o indivíduo e o coletivo”, completou.
Um exemplo, é o poema Quilombo in verso onde, com leveza, o ativista político e cultural Alex Simões resume a crueldade de uma situação contemporânea: o conflito entre os quilombolas do Rio dos Macacos e a Marinha do Brasil no litoral baiano. Em outros poemas é possível compreender ainda, a sinergia entre religiosos de matriz africana e seus orixás. É o caso de Cavalgo nos raios de Iansã, da escritora Miriam Alves.
A editora – A coletânea também será lançada em sete estados brasileiros: Minas Gerais, Maranhão, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins. A previsão é de que os lançamentos aconteçam até o mês de junho. De acordo com Guellwaar Adún, escritor e diretor da Editora Ogum’s Toques Negros, o livro deve ser considerado um cartão de visitas da capacidade literária dos escritores que participam do coletivo. “Uma oportunidade que abrirá portas a negociações e a outras formas de divulgação da cultura negra brasileira”, disse.
A expectativa é que a coletânea cumpra o papel de consolidar esta que já pode ser considerada a primeira editora negra de Salvador. Para o futuro, já existe o compromisso de que seja lançada até o final de junho, a 2ª edição revisada da coletânea Ogum’s Toques Negros, além da publicação de outros 10 livros com diferentes gêneros literários. Entre eles, romances, culinária, cânticos negros, filosofia e obras voltadas ao público infantil.
Ogum’s Toques Negros – Coletivo de escritores negros, o Ogum’s Toques Negros foi criado em 2012 com o objetivo de promover a cultura negra. Inicialmente, tratava-se de uma página virtual (de 2011) de Guellwaar Adún, que ao escrever o que nomeou de nano contos, atraiu a atenção de um público apaixonado por poesias além de outros literários.
Adún refletiu sobre o amplo espaço proporcionado pela internet e abriu a página aos amigos e interessados. “Me perguntei até onde seria vaidade ter tanto espaço disponível e publicar apenas textos meus”, disse. Hoje, a iniciativa aposta na divulgação da literatura negra a partir das mídias sociais e repercute não apenas em espaços virtuais, mas também em encontros presenciais com lançamentos de livros e rodas de conversas entre os que acreditaram na proposta.
Confira a página do coletivo: ogumstoques.wordpress.com e no FaceBook Ogums Toques.
SERVIÇO
O que: Lançamento da coletânea poética Ogum’s Toques Negros
Quando: 21 de março
Horário: 18h30
Onde: Centro de Estudos Afro-Orientais (CEAO) da Universidade Federal da Bahia – Salvador.
Postar um comentário