Componentes do livro novo (2), uma crônica: O padre pop


A moça cheia de destreza burla a segurança desatenta e se joga nos braços do padre-galã. Chora desesperada. Ele a consola. A cabeça dela recosta-se no peito malhado do padre e umedece a camisa feita sob medida para destacar o peitoral maior.

A música está terminando e ele precisa decidir como incorporar a moça à performance. Fala alguma coisa no ouvido dela, que sussurra uma resposta, já mais calma. Então, ela pega o microfone, confiante. Ele, com sorriso fraterno, a incentiva a falar.

A moça discursa entre soluços: “padre furustreco, não é justo o que o senhor faz conosco, mulheres de família, contrárias ao aborto, tementes a Deus, à espera de homem-príncipe, gentil e cavalheiro que nos retire a virgindade, tão cara para nós quanto o voto de castidade feito (e mantido) pelo senhor. Padre, o mundo precisa de homens como o senhor, íntegros, verdadeiros e bonitos! O senhor é lindo! É um desperdício que seja padre. O senhor me desculpe pela sinceridade e ousadia, é caso até para pedir perdão a Deus, e eu peço, mas, como eu, muitas moças gostariam de ter a chance de desposá-lo, de ter filhos lindos como o senhor”.

O padre sorri um riso premeditadamente tímido. A audiência divide-se nas reações. Muitos acham cômico o depoimento, alguns o consideram inadequado, outros acham que a moça está histérica e precisa de internação ou de casamento. O padre, a princípio condescendente, silencia por alguns segundos, enquanto matuta o seguimento da performance.

Resolve direcionar as mãos para o céu (um auxiliar de palco corre para acertar o microfone de boca) e aguarda alguns segundos enquanto a iluminação divina o toma e a plateia se harmoniza, e exorta: “oh Deus-pai-todo-poderoso, conforte o coração desta filha aflita para que ela entenda que Deus não escolhe apenas os feios e imperfeitos. Deus também precisa dos belos e perfeitos para realizar suas obras”.

As ovelhas-ovelhas aplaudem em frenesi. Que presença de espírito! Que inteligência e perspicácia do padre-galã.

As ovelhas negras, subsumidas no mundo convencional das ovelhas, se perguntam onde, gotas de sabedoria e compaixão no lamaçal do coração narcisicamente humano do padre best(a) seller?
Postar um comentário

Postagens mais visitadas