Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

2 de out de 2007

Charles Baudelaire e Cruz e Sousa, à margem da modernidade - curso com Ronald Augusto, na Palavraria, em Porto Alegre

(Por Ronald Augusto) "Neste ano da graça de 2007 se comemoram os 150 anos da publicação de Les fleurs du Mal, do poeta Charles Baudelaire. E em 24 de novembro, lembramos o aniversário dos 145 anos de nascimento de Cruz e Sousa. A coincidência das datas se projeta além das efemérides sugeridas. A quase sincronia aponta para algo mais substantivo, refiro-me aos cruzamentos intertextuais entre ambos os poetas. Cruz e Sousa e Baudelaire viveram sob o mesmo arco histórico marcado pelo surgimento da metrópole moderna. Viverem, cada qual a seu modo, à margem de suas sociedades, e experimentaram, eventualmente, em seus respectivos ambientes culturais, lapsos de aceitação no que respeita às suas obras e idéias. Se os considerarmos como simbolistas strictu sensu, será então a partir de suas criações que o alto modernismo estabelecerá sua estética. Sem Baudelaire não haveria T. S. Eliot, nem Ezra Pound. Sem Cruz e Sousa, livros como A cinza das horas, de Manuel Bandeira, e Paulicea desvairada, de Mário de Andrade seriam impossíveis. Ao longo de quatro encontros, o curso investigará, entre outros tópicos de forma-e-fundo, as relações que ambos os autores mantiveram com seus espaços de modernidade; de que modo suas obras crítico-criativas problematizaram os dilemas do seu tempo; e de que maneira as gerações seguintes lidaram com o legado inventivo desses poetas. Mais alguns conteúdos a serem abordados durante o curso: · A "nota brasileira" do simbolismo de Cruz e Sousa. · O poeta da Ilha do Desterro e o falso problema do eu negro. · Um make it new (renovar) a partir da poesia de Cruz e Sousa. · Baudelaire e o poeta como um trapeiro intersemiótico. · "Quadros Parisienses" e a metrópole-arte. · A figura do poeta-crítico como um dos legados de Baudelaire". Sobre o poeta-professor Ronald Augusto nasceu em Rio Grande (RS) a 04 de agosto de 1961. Poeta, músico, letrista e crítico de poesia. É autor de, entre outros, Homem ao Rubro (1983), Puya (1987), Kânhamo (1987), Vá de Valha (1992) Confissões Aplicadas (2004) e No assoalho duro (2007). É co-editor, ao lado de Ronaldo Machado, da Editora Éblis www.editoraeblis.blogspot.com. Curso de Primavera a partir de 9 de outubro de 2007, terças-feiras às 19h30 (prosseguindo nos dias 16, 23, e 30, na Palavraria - Livraria-Café, em Porto Alegre. Informações & Inscrições: Com Ronald Augusto, pelos telefones 51 3336 2969 e 8406 6807 www.poesia-pau.zip.net --------------------------------------------------------------------------------
Postar um comentário