Bate-papo no PAF I da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF I da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

29 de jan de 2015

Mais sobre o livro Africanidades e relações raciais: insumos para políticas públicas na área do livro, leitura, literatura e bibliotecas no Brasil




Por Cidinha da Silva
O capítulo II, Padê, é a cantiga de entrada, de abertura do caminho a ser trilhado pela obra, de apontamento do lugar ao qual pretendemos chegar. O autor e as três autoras que oferecem o Padê não foram convidados a fazê-lo. Seus textos se impuseram como aqueles que precisavam vir à frente por sintetizarem o espírito do livro.
Mário Medeiros atende a chamada para definir e contextualizar, aproximar e distinguir, por meio de excertos de sua pesquisa de doutoramento, as literaturas negra e periférica.
Regina Dalcastagnè, referência na trama de trabalhos acadêmicos que apontam a necessidade de pluralizar as vozes narrativas na literatura brasileira, pergunta, e responde, por que precisamos de escritoras e escritores negros na cena literária.
A poeta Lívia Natália constrói breve inventário de suas referências literárias para abordar o tema fulcral da formação da escritora e do escritor negro.
Por fim, Josemeire Alves vocaliza de maneira portentosa as vozes transgressoras das pessoas moradoras de favela, pela via que busca o conhecimento compartilhado e construído a partir de referenciais próprios.

SOBRE AS AUTORAS E O AUTOR:

Mário Medeiros: sociólogo, autor de Os Escritores da Guerrilha Urbana: literatura de testemunho, ambivalência e transição política, 1977-1984 (Annablume/Fapesp, 2008) e A Descoberta do Insólito: literatura negra e literatura periférica no Brasil, 1960-2000 (Aeroplano, 2013). Foi finalista do Prêmio Jabuti, Categoria Ciências Humanas, em 2014. Ganhou, em 2013, o Prêmio para Jovens Cientistas Sociais de Língua Portuguesa do Centro de Estudos Sociais (Universidade de Coimbra) e, em 2012, a Menção Honrosa do Concurso Anpocs de Teses e Livros em Ciências Sociais. É, atualmente, docente do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas (IFCH-Unicamp).

Regina Dalcastagné: professora de literatura brasileira da Universidade de Brasília.

Lívia Natália: poeta, autora dos livros de poesia Água Negra, Prêmio Banco Capital de poesia (2011); Correntezas e Outros Estudos Marinhos, pela editora Ogum’s Toques Negros e de Ela e Dia bonito para chover os dois últimos ainda no prelo. Doutora em Teoria da Literatura, Professora Adjunta de Teoria da Literatura da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Líder do grupo de Pesquisa Corpus Dissidente: Negropoéticas e Negropolíticas: Narrativas, memórias e representações de si na Literatura Negro-Brasileira, também na UFBA


Josemeire Alves Pereira: doutoranda em História Social, pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).
Postar um comentário