Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

13 de ago de 2008

Papo de barbearia

O Clube do Bolinha tem segredos que as Luluzinhas dificilmente desvendam. A Marieta agora está infiltrada. Às quintas e sextas cuida das unhas dos homens na barbearia do Neco. Tá pensando o quê? A febre do metrossexual já chegou a esse reduto masculino também. E sabe homem como é, tem partes do corpo que só uma mulher pode pegar. Um companheiro de espécie pode fazer-lhe a barba, cortar-lhe os cabelos, aparar-lhe as costeletas, mas nas mãos, pés, coxas, costas, espinhas e cravos só uma mulher pode mexer. Não chega a ser estranho, faz sentido, já imaginou um marmanjo fazendo as unhas de outro? Coisa de viado trabalhar como manicure. O macho que é macho acha que certas funções são de exclusividade feminina. Fazer pé e mão, massagear as costas, espremer coisas líquidas, pastosas e sólidas de cravos, espinhas e demais erupções cutâneas, por exemplo, são típicas funções de mulher. Só há uma exceção para o macho clássico, as coxas. Essa é uma parte do corpo masculino à qual as mulheres costumam tocar na hora do sexo, mas o massagista do time de futebol tem prerrogativa para fazê-lo a qualquer momento. A atuação da Marieta no campo inimigo tem-nos permitido devassar o indevassável. Eles já se acostumaram à presença dela. Discreta, sempre com aquela cara de paisagem de folhinha. Profissional, muito profissional, que a Marieta não abre mão de sê-lo. Tudo muito esterilizado. Técnica de extração de cutícula e tratamento de unha encravada indolor. Bases opacas, porque os rapazes gostam de um detalhe na ponta dos dedos, mas sem afetação. E os meninos soltam o verbo como se ela não estivesse ali. Às vezes abrem o coração para ela. Discretamente, pedem conselhos para lidar com as transformações do corpo e da alma das filhas adolescentes e mesmo adultas. Cuidar dos filhos é mais fácil, sempre foi. Antes dava-se dinheiro para que eles conhecessem as prostitutas, hoje a contribuição paterna destina-se ao custeio de camisinhas. Filho homem é só mais um bode no mundo. O problema é a cabrita que ele tem em casa. E como comedor, ele sabe o que os outros da espécie pensam. Coitada da sua filhinha. É por isso que tanto homem enfarta quando as filhas chegam à adolescência. Mas passemos aos casos, pois sei que meninos e meninas estão curiosos para saber o que uns falam sobre as outras. Além do Neco, dono do estabelecimento, um auxiliar e a Marieta, havia cinco homens na barbearia. O que estava sentado na cadeira, com a cara cheia de sabão, começou a contar um caso presenciado (ouvido) em um motel. Diz que o casal tinha acabado de estacionar o carro e entrar no quarto. Não tinha dado nem tempo de tirar a roupa e a mulher gemia como se nos primeiros vinte minutos da partida o time dela já tivesse metido três. Não, meu, três minutos de jogo, ou seja, a bola, se tocada direitinho, ainda não tinha chegado à grande área e a mulher gemendo daquele jeito? Truco! Seis! O sujeito é um pato. Vamos e venhamos, ela tava fingindo. Pra segurar um placar daquele o cara tinha de ser uma potência e ela diferente de todas as outras, porque dispensava a chatice da partida preliminar. Eu não sei não, viu??? Mas pode até ser. Mulher é que nem futebol, uma caixinha de surpresas. Outro dia saí com uma colega minha da pós-graduação e fomos pra um motel. Eu tinha dez contos pra gasolina e o dinheiro pra pagar uma hora de putaria. Só fui mesmo porque eu tava na fissura e ela, dando mole. Se eu não como depois ia ficar falado pelos corredores da universidade. Mas tive dúvida, porque aquela ali parecia que demorava e eu não queria pagar o mico de ter de acabar antes da hora (dela) ou, dizer que não passei no caixa eletrônico e o cartão de crédito, deixei em casa pra não gastar. Porque só um mané casado pra pagar motel com cartão de crédito, né não? Mas o caso é que a mulher parecia o Etna em erupção. Mas mesmo rápido eu tava preocupado com o relógio e quando eu ia fazer o gol, ela disse, espera. Mas esperar o que minha egüinha pocotó? Ela vira de costas e eu firme, mantendo a concentração pra fazer o gol. Aí rapaz, ela gostou do negócio da pocotó e gemeu como uma égua no cio: arromba meu cu!!! Hahaha, e você? Ele não disse nada, só franziu a testa e abriu os braços, mas todo mundo entendeu que ele brochou. Vê se homem tá acostumado com uma mulher determinada desse tipo? Teve um outro que se empolgou e naquelas de mostrar que era mais macho do que todos os outros multiplicados, contou uma de difícil deglutição. Disse que cinco contra um não era com ele. Para mexer ali, só se fosse mulher. Era um cara home, pôrra. E, por não gostar de pegar no próprio bilau, ele aprendeu a urinar sentado. Pode? Mas no dia que a Marieta contou o caso de seu Olímpio, foi o maior segredo do clube já revelado. Ele estava muito preocupado com a filha de vinte e cinco anos, pois estava saindo com um homem branco de sessenta e cinco, mais velho que ele. Disse ao pé do ouvido da Marieta que eles procuram as negras, quando o apito já não toca tanto. É o mesmo efeito de uma gemada de ovo de pata. Levanta até defunto. Marieta minimizou a gravidade do assunto e mencionou o Gaetano Velasques, aquele ator famoso, que também está namorando uma moça negra, uns quarenta anos mais nova que ele. E eles se dão superbem. Ela saiu na capa de várias revistas durante o carnaval, como a musa negra dele. Mais um passo no harmonioso sistema de integração racial do Brasil. Importa o respeito, o amor, a consideração. Mas seu Olímpio não se consolava. Insistia em ver a filha como uma gemada de ovo de pata (Do livro Cada tridente em seu lugar).
Postar um comentário