Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

5 de jul de 2012

Bando de Teatro Olodum fará leitura dramática em Rio dos Macacos



Para chamar a atenção da sociedade para as violações sofridas pela comunidade quilombola de Rio dos Macacos, próximo a Simões Filho (BA), o Bando de Teatro Olodum realizará neste domingo, dia 08 de julho, às 10h, uma leitura dramática do espetáculo Candaces, a Reconstrução do Fogo, montagem premiada do diretor Márcio Meirelles, encenada pela Companhia Comuns, do Rio de Janeiro. Por meio da exaltação da força da mulher negra, o texto ressalta mitos e símbolos da ancestralidade africana no Brasil.

A história de resistência das guerreiras candaces pode ser associada à luta da comunidade quilombola pela dignidade e em defesa do seu território. A apresentação contará com a participação da cantora Márcia Short e da professora Ivete Sacramento, ex-reitora da UNEB.

A comunidade formada por 50 famílias negras sofre constantemente pela ameaça de despejo por parte da Marinha do Brasil, que se considera proprietária das terras habitadas pelos moradores há mais de um século. São diversos os relatos de agressão, ameaças, impedimento de circulação e invasão de domicílios. “O Artigo 68 da Constituição de 1988 e o Decreto 4887/2003, garantem os direitos da ocupação secular da Comunidade”, explica a socióloga e Presidente do Conselho de Desenvolvimento da Comunidade Negra na Bahia, Vilma Reis. “A Marinha do Brasil não pode tomar o Território de Rio dos Macacos porque ela, como instituição Brasileira, não está acima das demais instituições nacionais. Vivemos sob a vigência do estado democrático de direito”, afirma a socióloga, destacando as diversas leis e programas federais em defesa dos direitos das comunidades remanescentes de quilombos.

A tensão se acirrou na região desde 2009, quando a Advocacia Geral da União (AGU) impetrou uma ação reivindicatória – acatada pela juíza Arali Maciel Duarte, da 10ª Vara Federal – determinando a retirada dos moradores do local. A execução da retirada estava marcada para 4 de março de 2012, mas a presidente Dilma Roussef determinou a suspensão da tomada do território. Desde então, os moradores são impedidos de plantar, pescar, construir ou reformar suas casas. A comunidade vive o medo de que o despejo ocorra a qualquer momento, o que tem deixado em alerta diversos movimentos e organizações em defesa do quilombo.

O Bando - No dia 06 de fevereiro, o Bando de Teatro Olodum recebeu no Teatro Vila Velha representantes da comunidade e lideranças sociais em um “Ato de apoio à comunidade quilombola rio dos Macacos”. As lideranças do quilombo presentes ao evento fizeram relatos da violência com que são tratados pela Marinha do Brasil, que atinge crianças, adultos e idosos, inclusive pessoas com mais de 100 anos que nasceram e sempre viveram naquelas terras. Os quilombolas relataram que não têm acesso à água, energia elétrica, aos serviços de saúde e educação.

“O Bando de Teatro Olodum se associa à luta desses brasileiros que estão sendo ameaçados por aqueles que deveriam garantir sua segurança. A sociedade brasileira precisa ter conhecimento e tomar partido desta situação. Estamos expressando a nossa indignação por meio da nossa arte”, afirma o diretor Márcio Meirelles. O espetáculo Candaces, a reconstrução do Fogo estreou em 2003, no Rio de Janeiro, e recebeu indicações ao Prêmio Shell nas categorias de direção, figurino, música e coreografia.

SERVIÇO
O que: Leitura Dramática de Candaces, a Reconstrução do Fogo
Onde: Comunidade Quilombola Rio dos Macacos, BA 528 - entrada em frente ao Posto de Gasolina Inema – Aratú, Simões Filho – Ba
Quando: Domingo dia 08 de julho, às 10h.
Informações: 3083-4619 e 4620 / http://bandodeteatro.blogspot.com.br/
Postar um comentário