Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

17 de out de 2010

Mais uma piada racista contra um jogador de futebol negro

A cena: derrotado por 3 x 0 pelo Flamengo, o jogador Tinga, do Internacional, concede entrevista coletiva. Visivelmente constrangido pelo péssimo desempenho do time na partida, o jogador, acuado pelos microfones (qualquer pessoa percebe que ele está intimidado pela situação) fala coisas truncadas, repetitivas, circulares e que pouco dizem. Salva-se em seu discurso, a explicitação da necessidade de aprender com a derrota, argumento dissonante da maioria dos jogadores de futebol que, ao contrário dos atletas das demais modalidades, acham que as derrotas devem ser esquecidas. Nos studios do Sport TV, o apresentador Sérgio Maurício não explicita seu descontentamento com a teor da entrevista de Tinga - eu concordaria com ele, se o fizesse - mas faz um comentário sobre a necessidade do Tinga "fazer a barba", pois, "com aquele cabelo" (dreadlocks) a barba mal feita se destaca ainda mais. Bob Faria e André Lofredo, companheiros de studio do comentarista, digo, do comentário racista, riem animados. Luís Carlos Júnior, no aúdio externo, também oferece um risinho e procura a cumplicidade de Paulo César Vasconcellos, melhor comentarista do Sport TV, que não sorri, alheia-se da cena e mira a câmera, sereno, como de hábito. Em outro lugar qualquer do mundo isso seria uma manifestação de racismo, sujeita à punição. Aqui, as coisas não são bem assim e os risinhos dos participantes da cena têm, historicamente, naturalizado as práticas de discriminação racial. Racismo seria apenas o que acontece nos campos de futebol da Europa. Vida que segue! Enquanto não tivermos gente como Samuel Etö nos nossos campos, craques de bola que empenham seu prestígio pessoal para defender-se e para defender aos seus do racismo, gente como esse Sérgio Maurício continuará impune, expelindo piadinhas racistas que perpetuam a inferioridade forjada dos negros e a falsa superioridade dos brancos. Definitivamente, o Brasil não é um país para principiantes! (Foto: o jogador Tinga) .
Postar um comentário