Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

31 de mai de 2013

O que é do homem, o bicho não come!


Por Cidinha da Silva

A  televisão mostrou a bichona embolada dentro da caixa, doida para serpentear  no chão. A destinatária da encomenda, cuja identidade a polícia protegia, estranhou o peso da caixa e a movimentação interna. Largou o pacote no jardim e pediu socorro a uma rádio patrulha na rua, segundo informou no depoimento.

Os policiais levaram o imbróglio para a delegacia e quando abriram foi aquela correria. Uma jararaca preta e branca, adulta e faminta quase come a mão do desavisado que conversava com os amigos enquanto tirava os pregos das laterais da madeira. Sabe como eles resolvem tudo a bala, não é? Um deles quis logo atirar no réptil, outro o impediu, alertou sobre os possíveis problemas com a imprensa e o IBAMA. Trancaram a cobra na salinha onde a tinham libertado e foram buscar o pessoal do Butantã, enquanto as bolsinhas cheias de veneno do animal estufavam-lhe as bochechas .

A bicha deu trabalho para ser imobilizada. No Instituto recebeu água, comida, um cafuné na cabeça e tratamento para um ferimento. 

A polícia conduz as investigações considerando a  possibilidade de tráfico de animais silvestres e contrabando de veneno.  Cá para nós, isso é hipótese de cientista de laboratório. Falta a esses investigadores entendimento da alma humana.

Pensem comigo, como é que você recebe um pacote dos correios e chama a polícia? É porque você já desconfia da remessa, não é não? Suspeita o que pode ter lá dentro ou pelo menos tem indícios de quem seja o remetente e do que seja capaz de remeter.

Enviar jararaca pelos correios? Tenha fé em Deus! Tá na cara que isso é coisa de mulher traída! Traição de amante, de amiga, traição, traição! Traição é assim, dispara dentro do vivente um veneno sem antídoto que provoca necrose imediata no coração, falência renal e hemorragia intracraniana.

A jararaca era vingança de mulher abandonada. O marido deve ter trocado a remetente pela destinatária e deviam ser amigas, na certa, senão não haveria traição nem necessidade do simbolismo da cobra. Porque quem trai é amigo, gente de confiança. Inimigo não trai. Inimigo faz tocaia, dá o bote e está tudo nos conformes. Amigo traidor não, este atira pelas costas, escondido até pelo véu de fumaça de que está agindo para o seu bem, buscando o melhor para você.

Como assim? Toma o marido da outra e quer me enganar que deseja o melhor para ela? Qualequeé? Sou  obrigada a dizer que a destinatária tirou onda com a cara  da remetente e se deu mal.


E a melhor vocês não sabem. A cobra não picou a candidata a vítima, o veneno não entrou pelas veias, mas entrará por via oral. A pressão arterial da moça foi para as alturas com o susto e a médica consultada receitou Captopril, anti-hipertensivo ironicamente desenvolvido a partir do veneno da jararaca. É por isso eu digo: O que é da mulher, o bicho não come! 
Postar um comentário