Senhoras e senhores, o Oceano Oléria passou por aqui!



Por Cidinha da Silva

E não deixou pedra sobre pedra. Trouxe ondas de erres como Elizeth, como a menestrel que abre os braços e apresenta o espetáculo ao grande público.

É preciso terrrrrrr manha! É preciso ter graça!

E uma corte de rainhas negras  escolta a Diva Candanga, embala, protege e projeta.  Não estamos sozinhas! Temos umas às outras. Temos Ellen Oléria, soberana da Angola Janga, por todas nós!
Postar um comentário

Postagens mais visitadas