Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Bate-papo no PAF 3 da UFBA (Ondina, Salvador) - 13 de julho de 2017

Postagens populares

Visualizações de páginas da semana passada

Google+ Badge

Translate

18 de jul de 2007

Tridentiando 6

“Cada vez mais confirmo uma conclusão que tive a ousadia de fazer, certa vez, para aquele que escreve: "escrever é ter coragem" e "ter coragem é ter vinte e poucos anos". Prometo que ainda lhe envio uma "coisa" para ilustrar esta minha fala. Lá nunseiaonde sei que tens "vinte e poucos anos", e muita coragem. Mas, vamos às apresentações seguidas de desculpas pela demora, ou vice e versa. Sou mineiro, de São Paulo capital, e embora ser um não-católico praticante, aprendi, desde cedo e sozinho, o discernimento e respeito para com a religiões. Compartilho arrepios como os seus, quando ouviu, no astral da inspiração, aquela voz, alta de-baixo, dizer o "Deus-vaca". Que luxo! Pessoas com mania de ignorãnças... Pois bem, não me sinto à altura (digo, dígno) de lhe agradecer pelo presente que me deu , em Cada tridente em seu lugar e outras crônicas. Mas, tomo um ar egoísta ao agradecer não só por minha leitura deste, mas por todos aqueles em que sua "língua" toca. Por vezes doce, por vezes apimentada ao ponto. Agradeço à você e a Exú em nome de todos, pela literatura versátil, rica e gostosa. Adorei assim, o insuportar aos idólatras de pets. Ah, e sabemos bem dos líquidos modorrentos do katrina pessoal nosso de cada fim. E o passo preto, como ginga a gente por dentro!? Incrível! Um tridente desses a gente lê com os olhos de dentro, procurando não discernir sobre a literatura em si, formas, ahiii, etc. A gente procura um numseiuquê, pra suprir a necessidade de cada página. Mas, a Literatura em si, só pra sacar, tá é divina! Desculpe-me, mas me lembrei que a primeira palavra que veio à cabeça, quando decidi lhe escrever foi aquiescência. Acho que agora ficou mais claro que eu queria era dizer "luminescência". Que é a palavra que melhor me traduz sua visão crítica. Luz de adolescência madura... Essência de poucos. Obrigado pela literatura decência, e pela indecência necessária também. Sinto-me humildemente poderoso, quando leio poderes como os seus. Poizé Cidinha, espero vê-la em breve e com essa sempre forte escrita acelerada. Pois coragem, já provou que tem. Coragem, minina, corage”. (quase anônimo 9)
Postar um comentário